Todos juntos na escola, retomando as atividades

Rede pública de ensino encerra alternância de presença e busca rotina escolar com segurança sanitária

Todos juntos na escola, retomando as atividades
No Jardim da Infância 4 do Gama, Edcarla Torre (à direita, ao lado da secretária de Educação, Hélvia Paranaguá), mãe de uma aluna, comemorou: “A expectativa dela estava grande” | Foto: Mary Leal/SEE
“A família e o estudante precisam da escola e do retorno à rotina, que está ocorrendo de forma segura”Hélvia Paranaguá, secretária de Educação

O grande dia de retorno 100% presencial das aulas na rede pública chegou. Nesta quarta-feira (3), estudantes, professores, servidores e colaboradores retornaram ao ambiente escolar seguindo rigorosamente os protocolos de segurança, dentro do conjunto de ações preventivas para a normalização das atividades de mais de 460 mil alunos. A secretária de Educação, Hélvia Paranaguá, visitou cinco escolas do Gama para recepcionar os alunos.

“Os estudantes são o centro do nosso trabalho”, disse a secretária. “É na escola que desenvolvemos valores como socialização, cidadania e aprendizagem para que o aluno seja realmente protagonista da sua história. A família e o estudante precisam da escola e do retorno à rotina, que está ocorrendo de forma segura.”

Os locais visitados foram Jardim de Infância 4, Centro Educacional 8, Centro de Ensino Fundamental 11, Escola Classe 18 e Escola Classe 3. Em todas as instituições, Hélvia Paranaguá conversou com estudantes e professores.

Aluna do segundo ano do Jardim de Infância 4 do Gama, a pequena Eloísa Torres estava animada para voltar a frequentar as aulas presencialmente todos os dias. Sua mãe, Edcarla Torre, aprovou o retorno. “A expectativa dela estava grande”, comentou. “Eu só tenho a agradecer à escola, que deu todo apoio na época do on-line, e agora, no presencial, está tomando todos os cuidados. Os professores também estão vacinados, e isso me deixa mais tranquila.”

Segurança para todos

Além dos protocolos sanitários, a Coordenação Regional de Ensino do Gama teve a visita especial do trio de mascotes Bela, Joaquim e Dente de Leão dando as boas-vindas aos estudantes dessa unidade. Os personagens, que integram a programação de atividades lúdicas da CRE da cidade, ajudaram a reforçar a importância da prevenção à covid-19.

As unidades escolares continuam a seguir as orientações de biossegurança, como aferição de temperatura, uso obrigatório de máscaras, horários escalonados para entrada e saída dos alunos, escala para as refeições no ambiente escolar e atividades esportivas e recreativas realizadas ao ar livre ou em ambientes ventilados, entre outras medidas.

“Nossos estudantes ficaram muito tempo dentro de casa, e agora é o momento desse retorno pensado e seguro”, afirmou a coordenadora da CRE do Gama, Cássia Maria Marques. “A escola não desenvolve só a parte de aprendizado cognitivo, ela também se preocupa com os aspectos emocionais e sociais que precisam ser retomados mais de perto.”

Tecnologia, música e aprendizado

O Centro Educacional 8 (CE 8) desenvolve projetos nas áreas de ciência e tecnologia para os estudantes. O local trabalha com o Ensino Médio de Tempo Integral (Emti) e oferece programas de acordo com o segmento de interesse dos alunos.

“Eu acabei me encantando com a área de exatas e robótica”, comentou o estudante Guilherme Francisco, aluno da segunda série do ensino médio do CE 8. “Sempre temos alguma habilidade, e aqui na escola eles estimulam a gente. Sinto que somos prioridade. Quando voltei ao presencial, a experiência foi maravilhosa, e isso só tende a continuar.”

O Centro de Ensino Fundamental 11 também tem programas no contraturno para os estudantes do Emti, com atividades que envolvem música, arte e literatura. A secretária de Educação conferiu a apresentação da banda marcial da unidade durante a visita. “Os projetos de música e arte da escola não têm o objetivo principal de formar músicos e artistas; a ideia é formar cidadãos e pessoas do bem”, frisou o professor Thiago Francis.

Ex-aluno do local e atualmente estudando na Escola de Música de Brasília, o trombonista Lévi Barreto comemorou: “Queria agradecer ao CEF 11 por todos esses anos em que estive aqui. A escola me trouxe luz onde não via mais esperança”.

*Com informações da Secretaria de Educação