Projeto ‘Desapega DF’ recolhe doações de servidores

Ação tem como foco a população que se encontra em situação de vulnerabilidade. Sapatos, roupas, acessórios podem ser entregues até dia 19

Projeto ‘Desapega DF’ recolhe doações de servidores
Peças de vestuário estão entre os itens requisitados para doação | Foto: Homero Flávio/Seec
Material será repassado pelo GDF para a organização de um bazar beneficente

Em parceria com a Federação Espírita do DF, a Secretaria de Economia (Seec) está recolhendo doações de servidores para beneficiar pessoas em situação de vulnerabilidade. Serão arrecadados sapatos, roupas, acessórios e itens para casa – como objetos de decoração, móveis e itens para cama, mesa e banho.

Até 19 de novembro, o material poderá ser encaminhado a pontos de coleta instalados no Anexo e no Palácio do Buriti e na Escola de Governo (Setor de Áreas Especiais Norte, 1, telefone 3344-0124). Já a Federação Espírita (QMSW 5, lote 5, Sudoeste, telefone 3343.8237) recebe doações em caráter permanente, de segunda-feira a sábado, das 9h às 16h.

A ação integra o projeto Desapega DF, lançado pela Seec e pela Federação Espírita, e faz parte do Programa de Qualidade de Vida no Trabalho, inserido no Plano Estratégico do Distrito Federal 2019-2060 e no Plano Estratégico Institucional da Seec 2019-2023. O GDF vai repassar as doações para a federação realizar um bazar beneficente.

Trabalhos sociais

“É muito importante que os servidores de diversas secretarias possam se envolver em ações de solidariedade como essa”, reforça o secretário de Economia, André Clemente. O presidente da Federação Espírita do DF, Paulo Maia, enfatiza: “A federação trabalha não só para os espíritas, mas para a sociedade. A gente já recebe, repassa e faz esse trabalho. É uma grande rede de solidariedade.”

Com a iniciativa, o governo busca incentivar a valorização de trabalhos sociais realizados por entidades assistenciais e dar suporte para que os servidores e a comunidade possam promover a destinação sustentável de objetos em desuso. “Os grandes especialistas dizem que praticar atos de solidariedade também significa qualidade de vida, porque o bem que você faz ao outro retorna para você amplificado”, pontua a secretária executiva de Valorização e Qualidade de Vida da Seec, Adriana Faria.

*Com informações da Secretaria de Economia